Júlio Conrado (1936-2022)

📅29 de Janeiro 2022

Sócio da nossa Associação (n.º 127), mantendo sempre disponibilidade, empenho e generoso modo nas relações com todos, Júlio Conrado, o ficcionista, o crítico, o leitor esmerado, deixa em todos uma memória cordial. A todos os seus, nesta hora de luto, a APE exprime pêsames veementes e solidariedade.

Carlos Loures (1936-2022)

📅3 de Janeiro 2022

Na morte de Carlos Loures, escritor e amigo de tantos de nós, a APE, de que era membro, assumindo a dor do transe em curso, leva à família e aos melhores dos seus companheiros, condolências e apurada saudade. 

Gastão Cruz e Jorge Silva Melo

(1941-2022

(1948-2022)

Homenagem Sentida da Associação Portuguesa de Escritores.

Mantê-los vivos será sempre regressar ao seu legado notável, conhecê-lo melhor a cada leitura e proceder à sua criativa divulgação

Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva APE/CM de Braga

📅24 de Março 2022
📅16 de Março 2022
📅19 de Janeiro 2022

João Barrento

Créditos:@Fernando Bento

O Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Sila, que continua o que existiu até à suspensão verificada em 2017, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Braga, dotado de € 20.000,00 foi atribuído, na primeira edição, relativa ao biénio 2020/2021, a JOÃO BARRENTO, docente universitário, ensaísta, tradutor e promotor de singular iniciativa cultural.

 

A Direcção, constituída em júri como desde sempre nesta iniciativa, deliberou por unanimidade, considerando o percurso notável do Autor, seja nomeadamente enquanto académico e cronista no espaço mediático ao longo de muitos anos, seja pelo brilho incomum das suas traduções de grandes poetas (Hölderlin, Goethe, Walter Benjamin entre outros) e da acção no Espaço Llansol, a todos os títulos modelar. João Barrento é uma personalidade maior da cultura portuguesa contemporânea.

 

Recorde-se que, no passado, foram distinguidos Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Saramago, Óscar Lopes, José Cardoso Pires, Eugénio de Andrade, Urbano Tavares Rodrigues, Mário Cesariny de Vasconcelos, Vítor Aguiar e Silva, Maria Helena da Rocha Pereira, João Rui de Sousa, Maria Velho da Costa e Manuel Alegre.

 

A sessão oficial de entrega do Prémio será oportunamente anunciada.

 

Helena Dá Mesquita (1933-2022)

📅24 de Março 2022

A Direcção da Associação Portuguesa de Escritores expressa a mais Sentida Homenagem

Consultar regulamento

Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho APE/CM Vila Nova de Famalicão

📅12 de Maio 2022

CERIMÓNIA DE ENTREGA

O presidente da direcção da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes e o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Mário Passos, entregam amanhã, sexta-feira, 13 de Maio, pelas 15h00, nos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão, o Grande Prémio de “Eduardo Prado Coelho” à escritora ensaísta Cristina Robalo Cordeiro pela obra O véu de Maia – Relendo Almeida Faria (MinervaCoimbra).

Créditos:@Fernando Bento
📅10 de Março 2022

CRISTINA ROBALO-CORDEIRO

Vence 12.ª edição do GRANDE PRÉMIO DE ENSAIO “EDUARDO PRADO COELHO”

 

Um júri constituído por António Apolinário Lourenço, Carlos Nogueira e Helena Carvalhão Buescu decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho” APE/C.M de Vila Nova de Famalicão ao livro O véu de Maia Relendo Almeida Faria, de Cristina Robalo-Cordeiro (MinervaCoimbra).

Da acta destaca-se: “Uma leitura que é uma releitura e vice-versa. A fortuna crítica de Almeida Faria, escritor brilhante mas pouco prolixo e a história académica da autora fundem-se e confundem-se. Sem deixar de lado a análise crítica, técnico-narrativa e ideológica de Almeida Faria, Cristina Robalo-Cordeiro narra também a sua história como leitora do autor. Uma crítica humanizada, para classificá-la de algum modo, elucidativa e atractiva para quem leu ou pretende ler Almeida Faria.”

O Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores patrocinado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, destina-se a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição, no decurso do ano de 2020.

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 7.500,00 (sete mil e quinhentos euros) e desde 2010 distinguiu já Victor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira, Isabel Cristina Rodrigues, Helder Macedo, Joana Matos Frias e Helena Carvalhão Buescu.

A data da cerimónia de entrega do prémio será oportunamente anunciada.                                                                            

 

Breve nota biográfica: Cristina Robalo-Cordeiro é professora catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, de que foi Vice-Reitora de 2003 a 2011. Ensaísta, tradutora e escritora, consagrou a sua investigação prioritariamente às culturas e às literaturas francesa e francófonas, tendo igualmente publicado monografias e artigos científicos em literatura comparada e em literatura portuguesa. Cônsul Honorária de França em Coimbra, Vice-Presidente da Associação Europeia de Estudos Francófonos, exerceu as funções de Diretora do Bureau Magrebe da Agência universitária da Francofonia, em Rabat, de 2012 a 2016. Obteve um doutoramento de 3.º Ciclo, em Poitiers, sobre André Malraux, em 1980, e um doutoramento pela Universidade de Coimbra, sobre a obra de Jules Supervielle, em 1991. É autora de 17 livros (ensaios, novelas, romances e traduções), e de cerca de 200 artigos científicos. É coordenadora do Plano Nacional de Leitura para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, PNL2027 – Ler+ Ciência. Obteve o Prémio Richelieu Senghor de la Francophonie, em 2008, foi condecorada com a Legião de Honra (Cavaleiro), em 2014, e com a Ordem do Infante (Comendador), em 2015.

Fonte: https://www.wook.pt/autor/cristina-robalo-cordeiro/2953697 

 

Abertura das candidaturas ao Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho

 

Encontra-se  aberto, a nova edição do Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, destina-se a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição, no ano anterior ao da sua entrega até ao dia 2 de Novembro de 2021.

Centenário de Augustina Bessa-Luís

📅14 de Abril 2022

Esta publicação, hoje rara, fora do mercado livreiro, de capa dura,

é numerada e assinada pela Autora.

Publicação Carta a Ângela

📅 Março 2022

Acaba de sair a 2.ª edição do livro Carta a Ângela, agora, com o apoio da Associação Portuguesa de Escritores e patrocínio da Câmara Municpal de Cantanhede, em celebração do Centenário do Nascimento de Carlos de Oliveira.

 

Carta a Ângela é uma evocação de Ângela Oliveira, mulher do escritor Carlos de Oliveira, no primeiro aniversário do seu falecimento, com testemunhos de Gastão Cruz, José Carlos de Vasconcelos, José Fernandes Fafe, José Manuel Mendes, Manuel Gusmão, Margarida Gil, Maria José Lobo Fernandes, Maria Lúcia Dal Farra, Linda Santos Costa, Nuno Júdice, Osvaldo Manuel Silvestre e Rosa Maria Martelo.                 

Nos termos do n.º 1 do Artigo 20.º dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral Ordinária da Associação Portuguesa de Escritores para as  
14h00 do dia 31 de Maio de 2022, na Sede em Lisboa (Rua de São Domingos à Lapa, 17), com a seguinte Ordem de Trabalhos:

Apresentação, discussão e votação do Relatório e Contas de 2021 e do respectivo Parecer do Conselho Fiscal;

Outros assuntos de interesse associativo.

Não estando presente metade dos sócios efectivos, reunir-se-á a Assembleia uma hora depois, com os sócios presentes, nos termos do n.º 2  
do Artigo 25.º dos Estatutos.

Lisboa, 17 de Maio de 2022

                                                                                           Presidente da Assembleia Geral

                                                                                                       Mário Clúadio

Convocatória

O regulamento do Prémio pode ser consultado aqui

Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários APE/CM de Loulé

📅 26 de Maio 2022
📅 24 de Maio 2022
📅 5 de Maio 2022

Um júri constituído por Carina Infante do Carmo, Carlos Albino Guerreiro e Fernando Batista decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários APE/ C.M. de Loulé ao livro O Mais Belo Fim do Mundo, de José Eduardo Agualusa (Quetzal).

 

Na acta pode ler-se: O júri decidiu atribuir o Prémio pela destreza na escrita da crónica, que se matiza nas formas do conto, do ensaio e do apontamento diarístico sem comprometer o desenho calibrado do livro. Na mão de José Eduardo Agualusa a crónica é uma sonda apurada dos dias comuns pessoais e do tempo colectivo que é o nosso, tenso, conturbado, alargando-nos o horizonte para geografias sobretudo africanas mediante uma escrita bela, lúcida e poética.

 

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, destina-se a galardoar anualmente uma obra em português, de autor português, publicada em livro e em primeira edição em Portugal, no ano de 2021. Na presente edição, o valor monetário deste galardão para o autor distinguido é de € 12.000,00 (doze mil euros).

 

A cerimónia de entrega do prémio decorrerá no Dia do Município de Loulé, no próximo dia 26 de Maio.

 

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários distinguiu já os autores José Tolentino Mendonça, Rui Cardoso Martins, Mário Cláudio, Pedro Mexia, Mário de Carvalho e Lídia Jorge.

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de Dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil. Os seus romances têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, o Grande Prémio de Literatura RTP (atribuído a Nação Crioula, 1998); também os seus contos e livros infantis foram merecedores de prémios, como o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco da APE (Fronteiras Perdidas) e o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, respectivamente. O Vendedor de Passados ganhou o Independent Foreign Fiction Prize, em 2004, e, mais recentemente, o romance Teoria Geral do Esquecimento foi finalista do Man Booker Internacional, em 2016, e vencedor do International Dublin Literary Award (antigo IMPAC Dublin Award), em 2017.        

(Fonte: Quetzal)

📅11 de Janeiro 2022

Está a decorrer o período de candidaturas da 7.ª edição do Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários APE/C. M. de Loulé – 2021 que se destina a galardoar anualmente uma obra em português, de autor português, publicada em livro e em primeira edição, nos domínios da crónica e dos dispersos literários reunidos em volume.

De cada livro publicado deverá ser enviado 5 exemplares para a morada postal da Associação Portuguesa de Escritores até ao dia 28 de Fevereiro de 2022.

O valor do Grande Prémio é de € 12.000,00 (doze mil euros) para o premiado

JOSÉ EDUARDO AGUALUSA

PREMIADO COM O GRANDE PRÉMIO DE CRÓNICA E DISPERSOS LITERÁRIOS

Prémio Vida Literária 2012

 

A Direcção exprime, no luto desta hora o mais profundo apreço e toda a saudade de um dos seus maiores, endereçando aos familiares as mais sentidas condolências.

Grande Prémio de Literatura Biográfica Miguel Torga APE/CM Coimbra

📅7 de Julho 2022
📅9 de Junho 2022

2.ª EDIÇÃO DO GRANDE PRÉMIO DE LITERATURA BIOGRÁFICA MIGUEL TORGA

APE/C. M. DE COIMBRA – 2021

 

Um júri, coordenado por José Manuel Mendes, foi constituído por Cândido Oliveira Martins, José Carlos Seabra Pereira e Maria de Lurdes Sampaio, atribuiu por unanimidade, o Grande Prémio de Literatura Biográfica Miguel Torga ao livro De maneira que é claro…, de Mário de Carvalho (Porto Editora).

 

Da acta do júri consta: «entre outras obras dignas de relevo do Grande Prémio de Literatura Biográfica Miguel Torga, destaca-se a obra de Mário de Carvalho, De Maneira que é Claro… (2021), quer pela exímia qualidade estético-literária, contida e vigiada; quer igualmente pelo valor testemunhal e memorialístico das suas evocações.»

 

Ao Grande Prémio de Literatura Biográfica Miguel Torga, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Coimbra, concorreram obras publicadas no ano de 2021, em domínios como biografia, autobiografia, fotobiografias, diário, memórias, entre outros.

 

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 12.500,00.

 

A cerimónia de entrega do prémio será anunciada oportunamente.

BIOGRAFIA:

 

Mário de Carvalho nasceu em Lisboa em 1944. Licenciou-se em Direito e viu o serviço militar interrompido pela prisão. Desde muito cedo ligado aos meios da resistência contra o salazarismo, foi condenado a dois anos de cadeia, tendo de se exilar após cumprir a maior parte da pena. Depois da Revolução dos Cravos, em que se envolveu intensamente, exerceu advocacia em Lisboa. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico.


Desde então, tem praticado diversos géneros literários – Romance, Novela, Conto, Ensaio, Crónica e Teatro –, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Utiliza uma multiforme mudança de registos, que tanto pode moldar uma narrativa histórica como um romance de atualidade; um tema dolente e sombrio como uma sátira viva e certeira; uma escrita cadenciada e medida como a pulsão de uma prosa endiabrada e surpreendente.


Nas diversas modalidades de Romance, Conto, Crónica e Teatro, foram atribuídos a Mário de Carvalho os prémios literários mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance e Novela, Conto e Teatro da APE, o prémio do Pen Clube Português e o prémio internacional Pégaso de Literatura). Em 2020, foi distinguido com o Grande Prémio da Crónica e Dispersos Literários, da APE, pela obra O que Eu Ouvi na Barrica das Maçãs. Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas.


Obras como Os Alferes, A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho, Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel, A Liberdade de Pátio ou Epítome de Pecados e Tentações são a comprovação dessa extrema versatilidade.

 

Fonte https://www.portoeditora.pt/autor/mario-de-carvalho/14269 

 

📅7 de Março 2022

ABERTURA DE CONCURSO – Prazo de entrega das candidaturas até 4 de Abril de 2022

O Grande Prémio de Literatura Biográfica Miguel Torga, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Coimbra destina-se a galardoar anualmente, nos domínios da biografia, da autobiografia, da fotobiografias, do diário e memórias, uma obra em português, de autor português, publicada em livro e em primeira edição no ano 2021.

Para leitura pormenorizada, consulte o regulamento

João Rui de Sousa (1928-2022)

📅18 de Junho 2022

Serge Reggiani - 100 anos

📅9 de Junho 2022
Créditos:@Fernando Bento

Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho APE/CM de Loures

📅 12 de Julho 2022

ANTÓNIO CARLOS CORTEZ

DISTINGUIDO COM O GRANDE PRÉMIO DE POESIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO

 

Um júri constituído por Carlos Mendes de Sousa, Cristina Robalo Cordeiro e José Viale Moutinho decidiu por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho APE/C.M. de Loures ao livro Diamante, de António Carlos Cortez (D. Quixote).

 

Na acta pode ler-se: “A atribuição deste galardão a Diamante, de António Carlos Cortez, contempla o rico fazer poético deste escritor em diversas vertentes. Destacaríamos o exemplar uso do idioma, assim como a inteligência rara na criação a nível de metapoesia, à concepção de belíssimos sonetos, aliás bem na linha clássica não isenta de audaciosa modernidade. De notar também os poemas em prosa, bem como a valorização do jogo sintáctico, retórico-textual, que já vem da obra anterior do poeta, em especial do seu livro Jaguar...”

 

O Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores patrocinado pela Câmara Municipal de Loures, destina-se a galardoar anualmente uma obra de poesia em cada ano, em português e de autor português, publicado integralmente e em primeira edição. Nesta 4.ª edição foram admitidas 77 obras publicadas no ano de 2021.

 

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 12.500,00 (doze mil e quinhentos euros).

 

Nas anteriores edições, o Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho, distinguiu já os poetas Gastão Cruz, Fernando Guimarães e Nuno Júdice.

 

A cerimónia de entrega do prémio está agendada para o próximo dia 20 de Julho, na biblioteca Ary dos Santos (Sacavém).

 

A Direcção   

BIOGRAFIA:

 

António Carlos Cortez nasceu em Lisboa, em 1976.

Poeta, ensaísta e crítico literário, é professor de Português e de Literatura Portuguesa e investigador do CEHUM (Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho).

Publicou o seu primeiro livro de poesia em 1999. Recebeu em 2011, com Depois de Dezembro (Licorne), o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores para melhor livro de poesia publicado em Portugal em 2010. Na sua obra destacam-se os seguintes livros: O Nome Negro (2013), Animais Feridos (2016), a antologia A Dor Concreta (2016) – vencedora do Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes da Associação Portuguesa de Escritores em 2018 –, e Jaguar (2019) – galardoado em 2020 com o Prémio Literário Ruy Belo e o Prémio de Poesia António Gedeão/FENPROF.

É ainda autor de livros de ensaio e de crítica literária.

Tem obras publicadas no México e no Brasil e está incluído em várias antologias de poesia em Portugal e no estrangeiro.

 

Fonte https://www.leyaonline.com/pt/livros/poesia/diamante/

 

📅 20 de Abril 2022

ABERTURA DE CONCURSO – Prazo de entrega das candidaturas até 31 de Maio de 2022

O Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho APE/CM de Loures destina-se a galardoar, obras de poesia publicadas em 1ª edição, no ano de 2021, em português e de autor português.

Para leitura pormenorizada, consulte o regulamento

📅 12 de Julho 2022
Créditos:@Fernando Bento

Escritores Evocam Miguel Torga, Natália Nunes, Natália Correia, Maria Ondina Braga e Florbela Espanca

"TRAGA UM LIVRO E DÊ VOZ À OBRA DO AUTOR"

 

No próximo dia 29 de Março, às 18h00, na Biblioteca Palácio Galveias, em Lisboa (Campo Pequeno),

realizar-se-á uma evocação ao escritor Miguel Torga.

A Prof. Doutora Cristina Robalo Cordeiro falará sobre a vida e a obra do escritor.

Créditos:@Fernando Bento

Programa

 

Escritora Natália Nunes

19 de Abril de 2022 | 18h00 | Biblioteca Palácio Galveias

Participações: Annabela Rita e Cristina Carvalho

Escritora Natália Correia

10 de Maio de 2022 | 18h00 | Biblioteca Palácio Galveias

Participações: Fernando Dacosta e Helena Roseta

Créditos:@Fernando Bento

Escritora Maria Ondina Braga

20 de Junho 2022 | 18h00 | Biblioteca Palácio Galveias

Intervenção introdutória: Isabel Cristina Mateus

Créditos:@Fernando Bento

Escritora Florbela Espanca

19 de Julho 2022 | 18h00 | Biblioteca Palácio Galveias

Intervenção introdutória: Ana Cristina Silva

Créditos:@Fernando Bento

Vitor Aguiar e Silva (1939-2022)

📅 12 de Setembro 2022

O desaparecimento inesperado do Doutor Vítor Aguiar e Silva, a três dias de completar 83 anos, deixou o universo académico e cultural do país em estado de profunda consternação.

Sócio da APE, que o distinguiu com o Prémio Vida Literária e é hoje entidade instituinte desta iniciativa sob o seu nome, foi um universitário da mais preciosa estirpe, estudioso incomparável do legado camoniano e da obra de diversos escritores portugueses, para lá da Teoria da Literatura, uma obra que marca, profundamente ainda, o conhecimento imprescindível de quanto nestes domínios se elabora.

Ao ser-lhe atribuído, em 2020, o Prémio Camões celebrou-se o percurso de uma obra ímpar. Importará doravante lê-la como até aqui, uma fonte de saber e estímulo ao progresso das ideias que afluiem e renovam a paisagens  intelectual em que nos movemos.

À família e aos amigos, tantos são, que souberam reconhecê-lo e honrar a sua lição, a APE, nesta hora de luto, deixa o seu abraço condolente.

Luís Lalanda (1936-2022)

📅 9 de Setembro 2022

No dia 9 de Setembro deixou-nos o Dr. Luís Lalanda, Técnico de Contas e Companheiro exemplares da Associação ao longo de três décadas.

A uma rara competência profissional juntou sempre cordialidade extrema na relação com todos, nos modos exigentes de ordenamento das magras finanças da casa e ajudas prestimosas a quem, de entre os sócios, lhe solicitava apoio.

Era uma figura singular pelos dotes de convívio, bonomia e recato no que à função respeitava.

À família em luto e aos amigos, a APE expressa, com grande pesar, as suas condolências.

Ana Luísa Amaral (1956-2022)

📅 5 de Setembro 2022

A morte de Ana Luísa Amaral, poeta, tradutora, académica, mulher de cultura e combates solidários, consternou os que, na nossa melhor Literatura, encontram lugares de grandeza, interrogação, criatividade, transcendência pela estética.

Ao reabrir após férias, a Associação Portuguesa de Escritores presta tributo condoído à Autora e Amiga, certa da perdurabilidade da sua obra, abraçando todos os familiares e companheiros de jornada numa memória que se fará sempre presente.

Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB

📅 15 de Setembro 2022
Presidente da APE, José Manuel MendesPatrocinador e anfitrião, Guilherme d’Oliveira MartinsCoordenador do GPRN, José Manuel de VasconcelosPresidente da APE, José Manuel MendesPremiada, Julieta Monginho e Ministro da Cultura, Pedro Adão e SilvaPorta-Voz do júri, Maria Etelvina SantosEntrega do prémioPremiada, Julieta MonginhoMinistro da Cultura, Pedro Adão e Silva
Créditos:@Fernando Bento
📅 14 de Julho 2022

JULIETA MONGINHO PREMIADA

com o romance

VOLTA AO MUNDO EM VINTE DIAS E MEIO

 

O júri, coordenado por José Manuel de Vasconcelos, e constituído por Carlos Nogueira, Helena Carvalhão Buescu, Fernando Batista, Maria Etelvina Santos e Rita Marnoto, deliberou, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB à obra Volta ao Mundo em Vinte Dias e Meio (Porto Editora), de Julieta Monginho, num conjunto de 57 livros admitidos a concurso.

 

Destaca-se da acta a fundamentação: “O júri salientou o modo exímio como o romance de Julieta Monginho, «Volta ao Mundo em Vinte Dias e Meio», no seu amplo domínio da escrita literária, concebe e articula uma narrativa compósita, através da justa articulação de diferentes planos e registos de linguagem, mantendo grande coesão e dinâmica narrativa. Dos temas mais universais, como o amor e a morte, aos mais prementes e actuais, como a reformulação do conceito de família e suas implicações no universo da infância versus mundo dos adultos, o romance desenvolve uma trama original onde a articulação entre a literatura e a pintura, o mundo da pequena aldeia alentejana e o da grande cidade europeia (Amesterdão), o do grande museu e o da literatura oral e tradicional ultrapassa o tratamento mais comum, vindo a constituir um espaço textual onde as próprias figuras transpõem o estatuto de personagens. Pelo modo criativo como concebe e dá forma à narrativa, o livro de Julieta Monginho imprime uma dimensão inovadora no actual panorama literário do romance português.”

 

O Prémio, actualmente de 15.000 euros, foi já atribuído a 31 autores.

 

Julieta Monginho vence, pela segunda vez, o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB - 2021, instituído em 1982, que teve, nesta 40.ª edição, os seguintes patrocínios: Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Câmara Municipal de Grândola, Fundação Calouste Gulbenkian e Instituto Camões.

Biografia

Julieta Monginho nasceu em Lisboa, em 1958. É escritora e magistrada do Ministério Público. Em 1996, publicou o primeiro romance, Juízo Perfeito. Seguiram-se A Paixão Segundo os Infiéis (1998), À Tua Espera (2000, Prémio Máxima de Literatura), Dicionário dos Livros Sensíveis (2000), Onde Está J? (2002), A Construção da Noite (2005), Metade Maior (2012, finalista dos Prémios Fernando Namora e Correntes d'Escritas) e Os Filhos de K. (2015, finalista dos Prémios Fernando Namora e PEN Clube Português).

Na Porto Editora, publicou Um Muro no Meio do Caminho (2018, Prémio Fernando Namora 2019 e Prémio PEN Clube Português 2019) e reeditou A Terceira Mãe (2008, Grande Prémio de Romance e Novela da APE).                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          

 

Fonte https://www.portoeditora.pt/autor/julieta-monginho/3813

📅 24 de Junho 2022

FINALISTAS

 

A Direcção da Associação Portuguesa de Escritores (APE) informa que o júri do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB – 2021, coordenado por José Manuel de Vasconcelos, e constituído por Carlos Nogueira, Helena Carvalhão Buescu, Fernando Batista, Maria Etelvina Santos e Rita Marnoto, elaborou uma short list, após análise e debate sobre todas as obras a concurso:

A deliberação final do júri, revelando o livro vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela 2021, será divulgada oportunamente.

📅 22 de Março 2022

ABERTURA DE CONCURSO – Prazo de entrega das candidaturas até 22 de Abril de 2022

O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB destina-se a galardoar, anualmente, um livro de carácter romanesco ou novelístico, em português e de autor português, em 1.ª edição, no ano 2021.

Para leitura pormenorizada, consulte o regulamento

José Saramago, Uma Evocação

📅 4 de Outubro 2022
Créditos:@Fernando Bento

O Escritor

📅 3 de Outubro 2022
O novo número da revista O Escritor, dedicado a José Saramago, no contexto do centenário do seu nascimento, encontra-se ao dispor dos interessados.
O volume com 430 páginas tem a colaboração diversa de 43 autores
(Manuel Alegre, Fernando Batista, Maria Graciete Besse, Helena Carvalhão Buescu, Carina Infante do Carmo, Ana Margarida de Carvalho, Armando Silva Carvalho, Mário Vieira de Carvalho, Paulo Castilho, António Borges Coelho, Leonor Martins Coelho, Cristina Robalo Cordeiro, Hélia Correia, António Carlos Cortez, Afonso Cruz, Fernando Dacosta, Carlos Vale Ferraz, António Mega Ferreira, José do Carmo Francisco, Orlando Grossegesse, Daniel Jonas, Domingos Lobo, Guilherme d’Oliveira Martins, José Cândido Oliveira Martins, Manuel Frias Martins, João de Melo, José Manuel Mendes, Luís Filipe Castro Mendes, Julieta Monginho, Paula Morão, José Viale Moutinho, Carlos Nogueira, António Pedro Pita, Miguel Real, Carlos Reis, Ana Cristina Silva, Sara Reis da Silva, Vítor Aguiar e Silva, Sérgio de Sousa, Gonçalo M. Tavares, João Tordo, José Carlos de Vasconcelos e José Manuel de Vasconcelos).

Informações através do info@apescritores.pt

📅 4 de Outubro 2022

A Associação Portuguesa de Escritores, no âmbito das comemorações do Centenário do Nascimento de José Saramago, vai promover no dia 11 de Outubro, pelas 18h00, na Biblioteca Palácio Galveias (Campo Pequeno) uma expressiva homenagem ao escritor, personalidade maior da Literatura contemporânea.

A sessão, com coordenação de Luís Machado, conta com a participação de José Manuel Mendes e Manuel Frias Martins.

Dando continuidade ao ciclo "TRAGA UM LIVRO E DÊ VOZ AOS AUTORES", convida-se à participação dos presentes na leitura de fragmentos da obra daquele que em 1998 foi galardoado com o Nobel da Literatura.

A revista O Escritor n.º 8, dedicada a José Saramago, estará disponível para aquisição a todos os interessados.

© 2010 - 2022, APE - Associação Portuguesa de Escritores
Desenvolvido por: Joaquim Trindade